Treinamento em Jejum: Funciona melhor ou é Furada?

Treinamento em Jejum: Possui algum benefício para o nosso corpo?

quando o treino em jejum torna se prejudicial e1460644106244 - Treinamento em Jejum: Funciona melhor ou é Furada?

Treinamento em Jejum: Hoje vamos falar do treino em jejum. Treinar em jejum realmente funciona? Acontece que quando estamos em jejum o nosso corpo utiliza como fonte de energia principalmente as gorduras, já que os estoques de carboidratos estão baixos. Isso teoricamente seria uma coisa importante.

Mas, na boa é ruim. E por que é ruim? Porque nós precisamos diferenciar dois processos que acontecem no nosso corpo. O primeiro é a tal da lipolise. Que é o que? Mobilizar aquela gordurinha, tirar a gordura do tecido adiposo e deixar ela na corrente sanguínea para ser utilizada.

O outro é a oxidação da gordura. É o fato de realmente essa gordura ser utilizada no nosso músculo como fonte de energia. E aí eu pergunto para vocês: O que será que tem de pesquisas que falam sobre esse assunto? Fizemos um levantamento bem interessante sobre isso e vamos compartilhar com vocês.

Estudos já mostram que jejum prolongado acima de 12 horas, quando comparado com pessoas que fazem de repente um café balanceado, a lipolise é até um pouquinho maior, já a oxidação apresenta uma diferença mínima.

Esse estudo ainda mostrou que quando se faz um jejum prolongado, os níveis de cortisol aumentam, que é um hormônio completamente catabólico.

Ou seja, a pessoa nesse contexto acabou tendo até perda de massa muscular. Uma outra pesquisei bastante interessante, comparou grupos em jejum absoluto com pessoas que ingeriam café, em torno de 670 quilocalorias.

O que isso mostrou? Que embora no jejum novamente a lipolise a mobilização era um pouquinho maior, o metabolismo de repouso da pessoa caiu.

 

Comprovando até mesmo que 24 horas depois a utilização de gorduras por incrível que pareça era menor, ou seja a galera fazer jejum, treinar em jejum, não comer nada para ir malhar é uma tremenda de uma fria.

Além disso, é muito perigoso pois vários artigos já mostram que o treino em jejum pode gerar uma indução a uma hipoglicemia. Outros estudos mostram um aumento na secreção da própria adrenalina.

Isso pode gerar uma sobrecarga cardíaca muito grande, arritmias, disfunção endotelial, aumento de marcadores. inclusive gente, inflamatórios como: TNF-Alphas, interleucina, além de aumentar o risco cardiovascular.

Um outro estudo muito interessante mostrou que o trabalho em jejum pode gerar uma desregulação nos processos de controle, inclusive do apetite, podendo induzir até mesmo uma resistência insulínica e a longo prazo uma intolerância a glicose.

Ou seja, será que realmente treinar em jejum vale a pena? Uma outra estratégia que algumas pessoas fazem é: “Ah, ok, estou em jejum, já que o carboidrato está baixo pra poupar a massa muscular eu vou utilizar BCAA”.

Isso é um outro erro porque quando eu ingiro um aminoácido, lembre-se que esse aminoácido também vai aumentar a insulina, que vai completamente de forma antagônica ao pretexto de estar em jejum, porque a insulina alta diminui as enzimas relacionadas com a própria lipolise.

Portanto também não é uma estratégia interessante. Então, o ideal é evitar treinamento em jejum. O jejum que vai gerar uma perda de massa muscular, vai aumentar seus níveis de cortisol e pode na verdade te trazer muito mais prejuízos do que benefícios.

Treinamento em Jejum
Treinamento em Jejum

Treinamento em Jejum: Funciona melhor ou é Furada?
Gostou do Post?