Pedra nos Rins? Conheça o que é o Cálculo Renal!

Pedra nos Rins: Descubra o que é e como ela afeta nosso corpo!

ilustracao de rins em ilustracao de corpo humano - Pedra nos Rins? Conheça o que é o Cálculo Renal!

Pedra nos rins: Litíase renal, cálculo renal, ou popularmente conhecido como pedra no rim. Quem já teve ao menos uma vez na vida dor causada por cálculos renais, ou a famosa pedra nos rins sabe bem o transtorno que esse problema trás. A dor é comparada por muitos como pior do que a dor do parto.

Nos homens não temos como traçar esse comparativo, mas podemos ter uma pequena ideia. Vamos conferir então, detalhes sobre esse problema e dicas para a prevenção.

O problema de pedras nos rins afeta 3% da população, principalmente os homens e grande parte dos pacientes que já apresentam histórico familiar. O cálculo renal recebe esse nome popular, mas na verdade ele não atinge apenas os rins, mas sim, qualquer ponto que constituí o aparelho urinário.

Então além dos rins, pode ter problemas nos ureteres, na bexiga e também na uretra. Em geral, os cálculos que se formam nas vias urinárias são compostos de sais de cálcio, que são os mais comuns, ácido úrico, cistina ou estruvita (cálculos de infecção).

E para determinar qual dessas substâncias está causando o problema é necessário exame clínico. A formação de pedras nas vias urinárias é uma das doenças mais antigas descritas pelo homem e é mais frequente em países de clima quente.

O risco de  formação de cálculos renais é de 6% para mulheres e 12% para homens. Entre homens negros é de cerca de 1% e entre brancos de 10%. A incidência em crianças é baixa (cerca de 3% de todos os casos).

Nos homens o risco da doença aumenta à partir dos 20 anos de idade e atinge o pico entre 40 e 60 anos; enquanto nas mulheres o pico é por volta dos 30 anos e ele vai decaindo após os 50.

Algumas pessoas desconhecem, mas a obesidade é um fator de risco para formação de cálculos renais em homens e mulheres.

A associação entre cálculo nas vias urinárias com Diabetes mellitus, síndrome metabólica e obesidade já é bem estabelecida. A dor associada ao cálculo renal, como comentamos lá no começo, é muito forte e aguda. Ela é sentida na região lombar alta, unilateral.

Raramente ela se manifesta nos dois lados das costas. Quando a dor se instala não existe posição que a alivie, apenas a medicação. Existem relatos de desespero.

As pessoas chegam a rolar no chão em busca de uma posição que alivie a dor, que dizem ser, insuportável. Além da dor, outros sintomas também estão ligados ao problema de pedra nos rins como por exemplo: vômitos, febre, dor para urinar e até mesmo sangue na urina.

Quando se fala em cálculo das vias urinárias o melhor é pensar na prevenção. A primeira recomendação para evitar a formação deles é tomar bastante água e até mesmo alguns chás diuréticos.

 

Chá de cidreira, quebras-pedras, carqueja, cavalinha, cabelo de milho e até mesmo o chapéu de couro. A quantidade recomendada é de cerca de 3 litros de líquido por dia.

Outras dicas que valem muito a pena seguir são: consumir frutas frescas como melancia, limão, mexerica, melão, uva, maracujá, verduras e hortaliças em geral como o agrião, alface, abóbora, rabanete, chicória, almeirão, chuchu, entre outras.

Pães integrais, aveia, milho, arroz, trigo, ameixa in natura, carne de frango, lentilha e até mesmo amendoim também são recomendados.

Esses alimentos aumentam a acidez da urina e diminuem a formação de cálculos pelo oxalato de cálcio que é uma das causas mais comuns.

Alguns alimentos também devem ser consumidos com moderação, em especial para quem já tem histórico familiar da doença. Os alimentos fontes de cálcio, como leite e derivados, gergelim, farinha de peixe e melado de cana, devem ser consumidos na quantidade prescrita na dieta.

O consumo além do recomendado certamente pode levar a maior incidência na formação de cálculos. Deve-se controlar também a ingestão de alimentos que diminuem a acidez da urina, como banana, abacaxi, damasco seco, figo seco, uva passa, pêssego, caqui. Além disso, alimentos ricos em vitamina C (acerola, laranja, Kiwi, manga, morango).

Evite também aqueles que são curtidos em sal, picles e aquelas conservas. E principalmente aqueles que têm elevadíssimo teor proteico: como carnes vermelhas, frango, peixe, ovos, queijo, soja e também as gelatinas.

Mas quais alimentos que de fato devem ser evitados? Nesse caso os gordurosos. Como bacon, banha, pele, na verdade as frituras em geral, carne gorda e creme de leite.

Principalmente porque eles aumentam a incidência dos cálculos renais do oxalato de cálcio, que são os mais comuns. No caso, se os seus cálculos são formados exatamente pelo oxalato de cálcio, evite os alimentos fonte, entre eles destacamos os folhosos verdes escuros como o brócolis, espinafre, chicória, aspargo.

Evite o abacate, ameixa, beterraba, a pimenta, sardinha. Evite também os alimentos com alto teor de purinas que são caldo de carne concentrado, fígado, rim, sardinha e também a carne bovina.

Se você tem histórico familiar para a formação de cálculos urinários, ou experimenta alguns dos sintomas que nós mencionamos aqui, procure um profissional especializado na área. Sua saúde agradece!

Pedra nos rins: O que é?
Pedra nos rins: O que é?

Pedra nos Rins? Conheça o que é o Cálculo Renal!
5 (100%) 1 vote